Distopias clássicas que você não pode deixar de ler

em Artigos, Dicas e novidades.

No blog da Locaweb nós falamos muito sobre cinema, séries, tecnologia e, claro, sobre literatura. E, dentro dessa gama de conteúdo, percebemos que tem um nicho ganhando cada vez mais visibilidade: a distopia.

Para quem não sabe, distopia é o contrário de utopia. Explicando de forma resumida, ela caracteriza uma sociedade inexistente controlada por meios de opressão e as histórias geralmente contém elementos da realidade. Black Mirror é um exemplo disso.

Muitas distopias foram lançadas nos últimos anos: Jogos Vorazes, Divergente, Feios e O Círculo – que foi adaptada recentemente para os cinemas. Por causa disso, criamos um post com 6 livros clássicos para quem gosta do gênero. Bora conferir?

// 1984 – George Orwell

O livro foi publicado em 1949 por George Orwell (também conhecido por A Revolução dos Bichos) e conta a história de Winston Smith, que tem seus passos constantemente vigiados pelo Grande Irmão, por meio de telas eletrônicas.

Winston vive “aprisionado” em uma sociedade dominada pelo Estado e não aceita muito bem essa realidade. Ele trabalha no Ministério da Verdade e altera os registros históricos para satisfazer os interesses do partido. Infringe a lei ao anotar seus pensamentos em um diário e ao se apaixonar por Julia, uma servidora do partido.

Sem dúvidas é um clássico moderno e, se você gosta de distopias, não deve deixar de lê-lo. Até porque, 1984 também traz muita informação sobre tecnologia – algumas coisas até muito “Black Mirror”.

// Admirável Mundo Novo – Aldous Huxley

Admirável Mundo Novo foi lançado em 1932 e, assim como o livro de Orwell, é uma das distopias mais conhecidas mundialmente. Ele conta a história de uma sociedade do futuro que é organizada por castas já biologicamente definidas no nascimento. As pessoas que fazem parte dela são “programadas” para viverem harmoniosamente de acordo com as leis e regras estabelecidas.

Huxley acaba fazendo uma crítica à sociedade capitalista, tecnológica e industrial e o livro também faz uma ponta no gênero ficção científica. Vale a leitura – e a reflexão que ela proporciona.

// A máquina do tempo – H.G. Wells

O primeiro romance de H.G. Wells foi publicado em 1895 e conta a história de um cientista que cria uma máquina que pode transportá-lo através do tempo. Então ele viaja para o ano 802.701 e se vê em uma sociedade dividida entre duas raças: Eloi e Morlocks.

Os Eloi são mais tranquilos, mas apáticos, enquanto os Morlocks operam máquinas no subterrâneo e só aparecem na superfície à noite, para devorarem os Eloi – que são mantidos como gados. Com o livro o autor faz uma crítica ao capitalismo.

// Fahrenheit 451 – Ray Bradbury

E se você não pudesse ler mais nenhum livro? E se os livros simplesmente fossem queimados e não existissem mais? Fahrenheit 451, de Ray Bradubury fala justamente sobre isso. A história descreve uma sociedade que proíbe qualquer tipo de livro ou leitura e o povo só deve se instruir por meio do conteúdo passado nos aparelhos de televisão instalados em suas casas ou em praças ao ar livre.

No livro o autor faz uma crítica à opressão anti-intelectual nazista e o autoritarismo do mundo pós-guerra. Vale a leitura!

// Laranja Mecânica – Anthony Burgess

Muitos conhecem o filme Laranja Mecânica, dirigido por Stanley Kubrick, e não imaginam que ele foi baseado no livro homônimo, escrito por Anthony Burgess.

O livro é narrado pelo protagonista, Alex, que vive em uma sociedade futurista em que a violência se sobressai e gera uma resposta agressiva de um governo totalitário. Se você já assistiu ao filme, por favor, não deixe de ler o livro.

// O Planeta dos Macacos – Pierre Boulle

Assim como Laranja Mecânica, O Planeta dos Macacos acaba sendo mais conhecido pela franquia de filmes do que pelo livro. Escrito por Pierre Boulle e publicado pela primeira vez em 1963, o livro conta como os desbravadores do espaço se sentem ao descobrirem que há um mundo em que seus pares humanos são bestas à serviço de macacos – espécie dominante por lá.

Com o livro, Boulle questiona a definição do homem, o que o diferencia de animais e quais são os inimigos da espécie.

E então, já leu alguma dessas distopias? Tem mais outra para indicar? Deixe suas sugestões nos comentários. Ah, e já que você gosta de ler, não deixe de conferir nosso artigo sobre As redes sociais que todos os devoradores de livros devem conhecer. ;)