Frameworks PHP: conheça o Zend

em Artigos.

Continuando a série de Frameworks PHP (veja o primeiro, sobre usar ou não usar um Framework e, o segundo, sobre Laravel). Hoje vamos falar sobre o mais utilizado e difundido no mercado de trabalho, o Zend Framework.

Zend é referência quando falamos de PHP, até porque o Zend ajuda a manter o PHP e que dá treinamento e certificação de PHP. O Zend foi lançado em 2006 e já se encontra na versão 3, apesar de não ser o mais buscado nas pesquisas do Google, uma parcela fiel do seu público são empresas.

Um dos pontos que prejudica o Zend é a alta curva de aprendizagem para dominar o Framework, o que acaba afastando novos desenvolvedores. Além disso, um dos pontos que os desenvolvedores costumam reclamar do Zend é que ele é mais pesado que a maioria dos Frameworks do mercado.

Eu utilizei o Zend poucas vezes, foi mais quando já tinha aprendido a linguagem e queria experimentar um Framework. Apanhei bastante nas primeiras vezes para configurar, mesmo depois da primeira, continuou difícil (pelo menos na versão 1). Por ser um Framework MVC, o Zend me ajudou muito no meu primeiro contato com esse padrão de projeto, o que me ajudou bastante a entender como as camadas de Model-View-Controller são separadas.

Caracteristicas do framework
Linguagem
  • PHP
Banco de dados
  • MySQL
  • Postgress
  • Redis
  • MongoDB
  • Cassandra
  • SQL Server
  • Redis
  • Oracle
  • MariaDB
  • Memcache
  • DB2
Features
  • Scaffold
  • Internacionalização (i18n)
Modelos de DB
  • Relacional
  • Orientado a objeto
  • NoSQL
  • XML
Princípios de desenvolvimento
  • TDD (Test-driven development)
  • Don’t repeat yourself
Veja mais características do Zend aqui

O Zend é um Framework mais robusto que a maioria do mercado e podemos ver isso por sua gama de recursos. Ele por si só possui integração com mais bancos de dados que o Laravel e outros. Também trabalha com os modelos de banco de dados NoSQL e o XML.

O Zend possui as features do Scaffold e internacionalização que já conversamos no post do Laravel também estão integradas no Zend.

O Zend pode ser uma boa pedida se você quer construir grandes aplicações em aplicações menores o poderio dele é muito grande o que seria como aquela velha comparação de querer matar uma barata com uma bala de canhão, talvez um outro Framework ou até não usar Framework poderia ser mais fácil e rápido.

Para iniciar um projeto com o Zend 3 caso você tenha o composer instalado, basta rodar o comando:

composer create-project -s dev zendframework/skeleton-application path/to/install

Após isso, configure o Apache ou o Nginx para ter sua aplicação inicial rodando.

Gostou do Zend? Quer conhecer um pouco mais? Dê uma olhada na doc e no github dos caras. Se ficou alguma dúvida, sugestão ou se quiser ler sobre algum Framework específico, deixe nos comentários!