Quer cobrar quanto? Cinco dicas para desenvolver sua estratégia de preço

Por Thiago Mazeto*

Em média, novos e-commerces acabam sendo abandonados ou encerrando suas atividades em apenas três meses, segundo levantamento realizado pela BigaData Corp, empresa que varre mais de 90 milhões de sites e 320 bilhões de páginas na Internet.

Um dos principais motivos dessa mortalidade é a dificuldade de gerir tudo que uma loja virtual engloba, como compras, estoque, quanto cobrar por um produto, etc. Acertar na precificação é fundamental para não ficar no vermelho ou “assustar” os novos clientes, confira cinco dicas para criar sua estratégia de preço:

Tenha os custos na ponta do lápis – Antes de qualquer coisa é preciso identificar todos os custos que envolvem um determinado item, desde a operação do e-commerce, os impostos, até outras despesas, como a taxa cobrada pelo sistema de pagamento a cada transação. Para não comprometer a rentabilidade, o preço definido para venda precisa abordar todas essas questões.

Olho na concorrência – Com a tecnologia adequada é possível acompanhar, comparar e analisar os seus concorrentes.  Este panorama pode trazer informações importantes como estoque, política de parcelamento e produtos similares. Assim, a loja consegue definir ou até alterar sua estratégia de preços, de acordo com a situação atual do mercado.

Definindo o preço – É preciso identificar o maior valor possível sem reduzir a procura pelo item e o valor mínimo, para que a quantidade de pedidos seja suficiente para manter a operação rodando sem prejuízos. É dentro deste intervalo de valores que o preço de cada item deve estar situado.

Use o frete com moderação – O famoso frete grátis pode ser um tiro no pé. Se a promoção não for bem planejada ou estiver focada apenas em categorias mais rentáveis, torna-se necessário repassar este custo ao consumidor ou a loja virtual pode ter prejuízo na venda.

Preço flutuante – Após analisar os concorrentes e estabelecer uma margem segura (que não compromete a operação da loja virtual), o varejista pode aplicar o conceito de precificação dinâmica, em que ele realiza diversas alterações de preços ao longo de um determinado período.

*Thiago Mazeto é gerente de marketing da Tray, empresa especializada em soluções de e-commerce.