Benefícios do plano de continuidade de negócios para sua empresa e seu cliente

em Corporativo, Dicas.

Não importa o ramo de atividade ou o tamanho do seu negócio – uma pequena startup que recebe encomendas por e-mail ou uma multinacional que faz milhares de movimentações e transações diárias –, as informações corporativas são um dos mais importantes patrimônios de uma organização. Garantir que elas estejam sempre disponíveis, seguras e íntegras significa evitar transtornos capazes de trazer grandes prejuízos ao seu cliente e, consequentemente, danos incalculáveis à reputação da empresa. Para evitar tais danos, é importante contar com um plano de continuidade de negócios.

Ao pesquisar, desenvolver e disponibilizar um novo produto ou serviço no mercado, as empresas visam suprir as necessidades dos mais exigentes consumidores. Contudo, nem sempre a mesma importância é dada aos seus dados e informações, que são tão ou ainda mais estratégicos. Assim, a empresa que tem um plano de continuidade de negócios está apta a atender às demandas de todo tipo de cliente e ganha vantagem competitiva.

Não perca dados, não perca dinheiro

Ainda que as empresas conheçam a importância da elaboração e implantação de um plano de continuidade de negócios, a maioria delas, no entanto, não conta com essa estratégia. É o que apontou uma recente pesquisa da consultoria Vanson Bourne. O estudo aponta que, no Brasil, 62% das organizações ainda não confiam integralmente em sua capacidade de recuperação após uma interrupção das atividades.

Tais suspensões inesperadas também têm alto custo: 59% das empresas brasileiras ouvidas pela consultoria assumiram que perderam, em média, dois dias de trabalho por ano – prejuízo equivalente a US$ 26,7 bilhões. No mundo todo, a perda de dados chega a custar US$ 1,7 trilhão.

Frente a esse cenário, ter um plano de continuidade de negócios, que inclua a recuperação de dados e de desastres, é essencial para todas as empresas. Além de evitar prejuízos incalculáveis, é uma estratégia que, embora invisível aos olhos do cliente final, faz a diferença na maneira com que ele se relaciona com a sua marca.

RTO e RPO: o que considerar ao definir metas

Para lideranças ou empresas que não sabem por onde começar a elaboração do seu plano de continuidade de negócios, a seguir estão descritos dois importantes conceitos que devem nortear esse trabalho.

RTO: Recovery time objective, ou objetivo do tempo de recuperação. É o tempo máximo tolerável para recuperação de dados, em caso de desastre ou perda.

RPO: Recovery point objective, ou objetivo do ponto de recuperação. É a quantidade máxima de dados que pode ser perdida em caso de desastre ou perda.

Em alguns casos, o único valor aceitável de RTO e RPO é zero. É o caso de bancos, empresas de telecomunicações, administradoras de cartões de crédito e outras organizações cujas atividades ou serviços não podem ser interrompidas ou suspensas. São ramos de negócio que demandam total disponibilidade de infraestrutura tecnológica, independentemente das circunstâncias.

Após a definição do RPO e do RTO, é preciso determinar os procedimentos a serem adotados caso um desastre ou perda de dados efetivamente ocorra.

Para auxiliar no desenho do fluxo de ações de contingência, capaz de evitar maiores danos, é importante contar com um parceiro que possua completa infraestrutura, ofereça suporte à criação e garanta a eficácia da execução do plano de continuidade de negócios.