Perigos cibernéticos: saiba como se prevenir em 2016

em Segurança.

Que tecnologia é sinônimo de evolução, isso todos sabem.

Também é sabido que seu desenvolvimento acarreta melhorias significativas na medicina, em descobertas históricas e científicas, na construção civil e, claro, na comunicação. Mas é preciso levar em consideração que diante dos avanços, as estratégias dos criminosos também progridem – e na mesma velocidade. Como podemos nos prevenir nesse caso?

Profissionais da Blue Coat e da Websense listaram suas apostas deste ano para a segurança cibernética. Na pesquisa apareceram ameças às aplicações de Internet das Coisas e Hacktivismo; também foi ressaltada a carência de profissionais para solucionar essas questões.

Confira 5 previsões apontadas pelas organizações:

1 – Cuidado com a nuvem:
Os malfeitores estão cada vez mais de olho na nuvem. Isso porque o número de empresas que usam essa tecnologia para armazenar dados estratégicos, tais como aplicações sobre clientes e funcionários e propriedade intelectual, só aumenta. A tendência é que os hackers usem o acesso aos serviços de cloud para simular suas telas de login e, assim, captar as informações. Portanto, fique de olho.

2 – Ransomware continua crescendo:
Você sabia que o ransomware, malware para dispositivos móveis, é um dos mais lucrativos para os malfeitores? Segundo o estudo das instituições, as ocorrências de ransomware cresceram e tendem a aumentar em 2016. Os criminosos agora focam tanto em pessoas físicas, quanto em empresas que não souberam proteger seus dados.

3 – IoT como novo alvo:
A maioria dos dispositivos IoT não possui sistema operacional, nem muita capacidade de armazenamento. Também não são considerados seguros o suficiente e não possuem supervisão, fatores que os tornam mais vulneráveis ao controle e manipulação remota dos hackers.

A tecnologia ainda não foi explorada pelos malfeitores, mas, quando eles aprenderem a dominá-la será fácil explorar as fragilidades do IoT e expor a intimidade das pessoas.

Será que a previsão realmente vai se concretizar e em breve veremos os ataques neste ano?

4 – Ameaças ocultas:
Serviços como Google Drive, Dropbox e Box têm configuração gratuita, SSL gratuito e, geralmente, não são bloqueados. Com a popularização deles, os hackers terão mais oportunidades para agir. Com os inimigos usando tráfegos e canais criptografados para atuarem, as redes criptografadas também os interessarão.

5 – Experts em segurança da informação:
Diante de todo esse cenário, a demanda por experts em segurança da informação crescerá mais de 50% até 2018, a previsão é de que as vagas de emprego não sejam preenchidas e, com isso, quem entra em cena são as empresas prestadoras de serviços gerenciados de segurança.

O custo será alto e as empresas usuárias de TIC deverão mudar a tendência atual para conseguir novos investimentos em head count e se tornarem atraentes aos melhores profissionais do mercado.

E então, preparado para começar o ano com mais atenção e investir na segurança?
Confira as outras 8 tendências apontadas pela Blue Coat e Websense no site da CIO.

Fonte: CIO