Nos últimos dias 28 e 29 de novembro, foi realizada em São Paulo, a 13ª edição da RubyConf Brasil, um dos maiores eventos de Ruby da América Latina, que reuniu especialistas e desenvolvedores para discutir os principais conteúdos e estratégias da linguagem de programação Ruby.

Os participantes ainda contaram com um ambiente dedicado para discutir temas como  desenvolvimento pessoal e profissional, além de uma feira de negócios e networking com empresas como a Magnetis, Vindi, Campus Code, Guru SP e Casa do Código.

O evento foi aberto com um dos principais temas de interesse dos devs: a tipagem estática. Lucas Uyezu, Software Developer, da Shopify, também destacou o lançamento do Ruby 3.0, que deve chegar ao mercado somente no Natal de 2020. Até lá, os desenvolvedores contam com a versão beta. A nova versão terá uma performance três vezes mais rápida que a anterior, além de outras melhorias para facilitar os processos dos devs, como a análise estática. 

 O CEO da SourceLevel, George Guimarães, abriu o segundo dia da RubyConf Brasil destacando as métricas de desenvolvimento de software para os devs. Ele explorou a necessidade de se implantar processos de acompanhamento de toda cadeia de aplicação. De acordo com ele, equipes com mais de dez devs já precisam ter alguma métrica para visualizar os resultados.

E, para ficar por dentro de tudo o que rolou nos dois dias de evento, reunimos os melhores temas e insights para você explorar esse universo!

Para quem quer começar ou continuar explorando

O palco principal da RubyConf recebeu discussões sobre Audio Fingerprinting, atualizações de Rails, Webpacker e um estudo de caso com Ludmila Pontremolez, que trouxe as principais estratégias de negócios aplicadas no desenvolvimento de um sistema de pagamento de impostos, que hoje atende mais de 50 estados dos EUA. Todas as palestras imergiram em temas estratégicos, táticos e operacionais que devem fazer parte do dia a dia de todo desenvolvedor. 

Uma das principais missões da Ruby Conf Brasil é levar conhecimentos para a comunidade e compartilhar técnicas e procedimentos básicos, intermediários e avançados para todas as pessoas que querem desenvolver ou que já desenvolvem. 

A hashtag #RubyConfLocaweb se tornou um dos assuntos mais comentados e ficou nos Trending Topics do Twitter Brasil durante os dois dias de evento, e a cobertura tomou conta das nossas redes sociais. 

Além disso, todas as palestras do palco principal foram transmitidas ao vivo e gratuitamente através do canal oficial da RubyConf 2019. E se você ainda não conferiu ou perdeu alguma coisa, aproveite para acessar gratuitamente clicando aqui e reveja quando quiser!

Mais do que tecnologia, inclusão

Um dos temas mais importantes e discutidos do mercado de desenvolvimento nos últimos tempos, esteve presente: a inclusão de mulheres na tecnologia. Atualmente, segundo uma pesquisa da QuemCodaBR, no Brasil, os homens ainda representam 68% dos devs, contra 32% das mulheres. 

Em uma das palestras, Amanda Avila e Morganna Giovanelli compartilharam dicas para as mulheres que estavam no início de carreira com o tema “Dando Start da Carreira <Deeva>”, e exploraram as experiências profissionais e paradigmas do mercado de programação. Carol Soares trouxe o “Guia da desenvolvedora remota das galáxias”, explorando os modelos de trabalhos e as transformações pelas quais todo o mercado está passando, e quais são os impactos em uma era que demanda cada vez mais inclusão e diversidade na tecnologia.  

Code Review foi o tema da última palestra do primeiro dia na sala Codamos, Elaine Naomi Watanabe trouxe um lado mais acadêmico e teórico do assunto e abordou o lado mais humano e social, falando sobre a cultura, colaboração e como se comunicar de maneira construtiva além da tecnologia. 

Reflexão e empatia foram os ingredientes principais, “Olhe para seu time, a questão de diversidade é muito importante, pois ela ajuda a estimular a empatia e ajuda a reduzir o comportamento tóxico. Com tantas pessoas diversas, a gente consegue pensar diferente, e consegue ver coisas que a gente não vê. Ajuda na inovação e traz um impacto positivo no resultado financeiro”, ressaltou Elaine.

As palestras foram realizadas na Sala Codamos – em parceria com a CodamosClub –, que desconstruiu padrões e trouxe temas e insights para o dia a dia de pessoas desenvolvedoras, proporcionando uma experiência reflexiva e estratégica para o posicionamento pessoal perante o mercado de tecnologia. 

Para ler mais: mulheres na programação e crescimento do mercado.

Muito mais do que coisas, sistemas acessíveis

E para ir além da tecnologia, alguns temas precisavam ser explorados: tecnologia e acessibilidade

Você sabia que no Brasil apenas 2% dos sites são acessíveis para pessoas com deficiência, segundo uma pesquisa da W3C? 

A Lei Brasileira de Inclusão obriga as empresas com sede ou representação no país a oferecer acessibilidade, porém, por ser pouco explorada e fiscalizada, não é colocada em prática pelas empresas e nem considerada fundamentalmente parte de um projeto – seja para sites, produtos ou serviços.  Maurício Pereiro, QA de acessibilidade digital, do Itaú, e Flavio Correia, analista de testes, do Itaú e pessoa com deficiência visual, desmistificaram com a palestra “Existe teste de acessibilidade digital?”, compartilhando as necessidades, métodos e critérios que devem ser considerados para garantir a inclusão de pessoas com deficiência no ambiente digital e como desenvolver um projeto que respeite as normas nacionais e internacionais de inclusão e acessibilidade.  

Mais do que incluir, é preciso garantir a navegabilidade, o entendimento e a contribuição com a web, por isso pensar e colocar acessibilidade é imprescindível, e para isso, os testes de acessibilidade precisam ser incluídos durante o planejamento, execução e conclusão através de ferramentas como Acess Monitor, Axe, Bookmarklets, Teste de 200% e leitor de telas, responsáveis por identificar falhas e erros que impedem a navegação dos usuários e comprometem o reconhecimento de aparelhos de leitura, por exemplo. 

E para mergulhar no assunto, descubra qual o papel do desenvolvedor e como estimular a acessibilidade web!

Negócios e gestão é coisa de desenvolvedores

Já se foi o tempo em que desenvolvedores não precisavam ter contato com as estratégias de marketing digital e gestão. Cada vez mais o mercado de tecnologia estimula a aproximação com o mundo dos negócios. E não tão distante disso, todos que querem entrar de vez na área precisam desenvolver uma visão analítica para compor todas as etapas de desenvolvimento dos seus projetos. 

Todas as palestras da RubyConf Brasil 2019, incentivaram a adesão de conceitos de marketing e ações aplicáveis para o dia a dia de desenvolvedores, que queiram começar na profissão ou ainda, melhorar o desempenho e performance dos seus produtos. 

Gestão do tempo, de equipes e ferramentas de análises de códigos e testes de funções estimularam o planejamento estratégico de desenvolvedores para explorar além do universo tech. 

E desde sua estréia como Rails Summit, a Ruby Conf Brasil cresceu e se transformou cada vez mais em um dos principais eventos de tecnologia da comunidade, explorando conteúdos sobre Ruby, Ruby on Rails, Técnicas Ágeis, Devops, entre outros.

E se você quiser saber tudo o que rolou, acesse o canal Ruby Conf 2019 e confira os vídeos disponíveis, ou ainda acesse o álbum de fotos oficiais do evento.

E fique de olho: a próxima edição da Ruby Conf Brasil está prevista para o 2° semestre de 2020. Acesse o nosso site de eventos e acompanhe todas as novidades!

Exibir ComentáriosOcultar Comentários

Faça um comentário