Livro físico x e-book: há um vencedor nessa batalha?

em Curiosidades, Dicas e novidades.

Sabe aquela história de que “estamos lendo menos por causa da internet”? Pode esquecer. Segundo o Instituto Pew, focado em pesquisas sobre tecnologia, ciência e web, essa frase não passa de um mito. Mesmo com tantas notificações do Facebook, WhatsApp e outras redes sociais, tudo indica que estamos lendo a mesma quantidade de livros de cinco anos atrás.

De 2011 a 2016 os americanos continuou lendo cerca de seus exemplares ao longo do ano. E, sabe o que é mais interessante nessa história? Os impressos são duas vezes mais lidos do que os e-books; 38% dos leitores se recusam a ler livros no formato digital e, quando falamos em audiobooks esse número é ainda menor. Os audiolivros foram consumidos por apenas 14% dos entrevistados pelo instituto nesse período. Ou seja, as edições físicas não estão com os dias contados, como muitos imaginam.

Quatro em cada 10 pessoas ainda preferem sentir o cheirinho das páginas e folhear, fazer anotações, comprar marcadores e afins (e eu faço parte desse grupo). Mas por que as pessoas ainda preferem os livros físicos aos digitais?

Sempre fui rata de biblioteca e até hoje carrego um livro na mochila – nunca se sabe o que vai acontecer, não é mesmo? – tenho uma estante com mais de 250 edições e torci muito o nariz quando falavam que deveria comprar um e-reader por ser mais prático, mais barato e etc. Depois de tanto resistir, acabei me rendendo e adquiri um tablet, mas mantive meu vício por livros impressos. Ah, aquele cheiro de edições novinhas me esperando… Meu coração quase sai pela boca quando eu entro em uma livraria, em uma biblioteca ou em sebos. ♥

Mas, ao mesmo tempo em que sou apaixonada pelo toque no papel, também me apaixonei pela facilidade dos tablets, Kobo e Kindle. Convenhamos, é complicado abrir um livro de quase 800 páginas em um ônibus, fora o peso que ele tem…

Depois de ler sobre o estudo do Instituto Pew, resolvi fazer um comparativo com os benefícios dos dois formatos para facilitar a vida daqueles que ainda têm dúvidas e, por isso, se recusam a investir em um e-reader. Confira:

tabela-branca

 

Os dois formatos possuem seus benefícios e suas desvantagens, o importante mesmo é não deixar de ler. Falando nisso, você sabia que a leitura pode ser tão prazerosa quanto o sexo? É… Pesquisadores alemães e espanhóis pediram para que 36 adultos lessem um texto cheio de palavras não muito usuais e, enquanto liam, tiveram seus cérebros escaneados.

Os estudiosos descobriram que enquanto os participantes descobriam as palavras novas, seus cérebros aumentavam as atividades na região do corpo estriado, associado ao sistema de recompensa – a mesma área que é ativada quando transamos. Esse é um bom motivo para resgatar aquele livrinho esquecido na estante ou escolher uma edição no e-reader! ;)

E você, leitor, qual das duas opções prefere? Tem algum livro que você esteja curtindo muito no momento? Compartilhe suas dicas com a gente! :D

* Segundo a Green Press Iniciative, se você lê entre 60 e 90 obras em 365 dias,

optar por um tablet é uma forma de colaborar com o meio ambiente. Saiba mais sobre o assunto.