Por que a forma como você usa o smartphone pode prejudicar sua saúde?

em Artigos, Dicas e novidades.

– Larga desse celular, menino! Daqui a pouco vai ficar doente!

Essa frase já foi dita por tios, avós, padrinhos, vizinhos, professores e até por seus pais – mas eles estão usando o smartphone tanto quanto você, então não conta muito. Só que a gente descobriu uma coisa: eles têm razão.

Nossos celulares viraram uma espécie de extensão de nosso corpo. Acordamos, fazemos nossas refeições e até vamos ao banheiro em sua companhia. Se tudo o que é demais enjoa e nos faz mal, nossos corpos já têm sentido as consequências, mesmo que não percebamos.

Há pouco tempo o The New York Times publicou um artigo sobre o “ciberenjoo”; além das náuseas ao usar o celular, outros sintomas também estão aparecendo e sendo cada vez mais comuns entre os viciados em smartphone. Descubra quais são eles:

Ciberenjoo:

Quando você rola a tela do smartphone ou assiste a algum vídeo cheio de ação, acaba tendo dor de cabeça ou náuseas? No artigo publicado no The New York Times, o professor de otorrinolaringologia da Escola de Medicina de Harvard explica que essa sensação é causada devido a um descompasso entre os sinais sensoriais.

Nosso senso de equilíbrio é diferente dos demais sentidos porque ele depende de sinais variados e, quando esses sinais não estão de acordo, o resultado são náuseas. Qualquer pessoa pode ter esse tipo de enjoo, mas as mulheres têm mais propensão do que os homens. Quem tem histórico de enxaqueca também é mais suscetível aos sintomas.

giphy

Garras do
Wolverine?

Se você é daqueles que não larga o celular e está sempre digitando, provavelmente sente dor e tem cãibras no pulso, dedos e antebraço – é isso o que acontece quando você realiza uma atividade motora diversas vezes e por muito tempo.

A dor só vai passar se você deixar o smartphone de lado, mas a gente sabe que isso não vai acontecer. Massagear e fazer alongamentos ajudam. Portanto, chega de faltar à ginástica laboral, certo? Suas mãos agradecem e, cara, tudo bem, seria legal ter as garras do Wolverine, mas imagina a dor…

sleepy

Vista cansada:

Mas é óbvio que seus olhos são afetados por causa da telinha do celular. Com a vida cada vez mais conectada, não descansamos nossa visão, o que dá dor de cabeça, cansaço e afeta a produtividade.

Quando você trabalha na frente do computador, já passa um bom tempo olhando para uma tela e, se continuar a fixar seus olhos no celular após o expediente, atividades como dirigir, ler e escrever deixarão suas vistas mais cansadas.

Para diminuir essa sensação é importante fazer pausas a cada 20 minutos e olhar para a janela, ou qualquer outro lugar, durante 20 segundos. Se seus olhos estiverem sem muita lubrificação, um colírio irá ajudar – mas lembre-se de consultar um oftalmologista.

0de3c2e0-531e-0132-0b47-0eae5eefacd9

O pescoço…

Os celulares mudaram totalmente a forma como vivemos, prova disso é a nossa postura. Já percebeu que para digitar ou abrir nossas redes sociais no smartphone precisamos inclinar nossa cabeça para baixo? Como ficamos um bom tempo assim, sentimos desconfortos na coluna e no pescoço.

Logo, é preciso cuidar melhor da postura ao usar o celular. Um estudo comprovou que o ângulo em que curvamos nossa cabeça ao usar o aparelho exige que a espinha sustente um peso de quase 30 kg. :O

X745isE

Acidentes no caminho:

Em 2015 as selfies já mataram mais do que os tubarões e as mortes por causa do smartphone só aumentam. Com o uso excessivo e a atenção total para ele, nos distraímos ao caminhar e, bem… caímos, topamos com o poste, com as pessoas, com os ciclistas e não vimos o carro.

Essa não é uma doença ou um sintoma em si, mas também vale como um alerta.

Ao fazer qualquer atividade que precise de concentração, deixe o celular de lado. Sua vida vale muito mais do que um like, do que assistir ao vídeo que o amigo enviou.

E, diante das informações acima, a Locaweb adverte: ao persistirem os sintomas um médico deverá ser consultado.

Ps.: Não só ele, mas um psicólogo também, porque sabemos que para ser curado é preciso deixar o celular e cá entre nós, somos todos viciados.

Fonte: Brasil Post