Você sabe o que é escalabilidade?

por em Cloud,Dicas Nenhum comentário

Nem toda empresa que está começando suas atividades pode ser chamada de startup. O mercado e os investidores se acostumaram a usar esse termo somente para empreendimentos que tenham algumas características bem específicas. Mas definir as startups foge ao objetivo de nosso post e, por isso, vamos nos concentrar somente em um dos aspectos de seu modelo de negócios: a escalabilidade.

escalabilidade-blog

Esse conceito é importante não somente para que os empreendedores conheçam melhor suas operações e negócios, mas para que também saibam apresentar as vantagens de se investir no negócio em um cenário de incertezas. Entenda a escalabilidade e por que as startups a perseguem em suas atividades.

Mais com menos

Se pudesse ser resumida em um clichê, poderíamos dizer que a escalabilidade nada mais é que fazer mais com menos. Ou seja, é quando uma empresa consegue aumentar seu faturamento progressivamente sem ter um crescimento proporcional nos custos.

Em geral, a escalabilidade só é atingida por empresas que encontram um modelo rápido e barato para vender mais produtos e serviços ou para conquistar novos clientes. Esses empreendimentos conseguem saltos incríveis no faturamento e no lucro sem precisar contratar equipes, construir novas sedes e assumir outras despesas, como a grande maioria das atividades econômicas.

Como escalar

A escalabilidade é um grande trunfo para uma startup, mas precisa ser perseguida no momento adequado. O primeiro passo é se certificar de que o produto ou serviço atende ao mercado de forma única. Caso esse valor especial já exista, a empresa pode então pensar em ampliar as fronteiras para outras cidades, estados, países e continentes.

Além disso, a escalabilidade também costuma ocorrer em empresas cujos processos são facilmente repetíveis por qualquer pessoa. Quando uma firma precisa contar com mão de obra altamente qualificada para executar um serviço, à medida que o volume de vendas aumenta sempre será necessário buscar novos profissionais com esse perfil no mercado, o que pode aumentar os custos consideravelmente.

Um último fator relacionado à escalabilidade é a geração de receitas por meio de mensalidades ou planos, que permite à startup aumentar seu faturamento usando uma estrutura de processos e serviços já existente, sem precisar assumir novas despesas.

Qual o intuito

Entender e perseguir a escalabilidade serve para os empreendedores das startups identificaram o verdadeiro potencial de crescimento do negócio do futuro para que possam planejar melhor suas ações. Com isso, será possível descobrir se a empresa é capaz de gerar o faturamento necessário para retornar o investimento em seus primeiros anos de vida. Além disso, a escalabilidade é um dos critérios mais analisados por investidores interessados em startups promissoras, pois com ela é possível saber, com um menor nível de incerteza, o retorno que poderá ser obtido do negócio nos próximos anos.

Vale ressaltar que, ainda que uma empresa não tenha um modelo de negócios escalável, ela ainda pode ser altamente lucrativa. No entanto, no cenário do empreendedorismo atual, exige-se cada vez mais que as startups sejam capazes de desenvolver modelos de negócios facilmente replicáveis em outras localidades e que possam ser difundidos por meio de ações econômicas de marketing e vendas na web.

Volte ao blog da Locaweb e confira outras publicações que irão te ajudar a obter novos insights sobre empreendedorismo.

5 dicas para fazer remarketing sem desperdiçar dinheiro

por em Dicas Nenhum comentário

remarketing blog

Se você já teve a sensação de que a grande maioria das pessoas que visita seu website não conclui uma compra ou não entra em contato com a empresa para saber mais sobre os produtos e serviços oferecidos, seja bem-vindo ao clube: essa é a realidade de muitos empreendedores na web. A boa notícia é que uma estratégia eficiente de marketing digital pode te ajudar a contornar esse problema. O remarketing (ou retargeting) é uma das ferramentas utilizadas por  corporações que trabalham com  e-commerce.

O recurso é baseado em anúncios voltados para quem realizou uma pesquisa sobre uma determinada mercadoria, mas que, por algum motivo, não concluiu a compra. A intenção é de criar um diálogo com esses consumidores que acessaram o seu site e agora estão em outras páginas da web. A partir de um cookie no navegador do lead, é possível “lembrá-lo” do artigo que estava pesquisando, aumentado as chances de ele adquirir o seu produto. Agora que você já está interado do que se trata o método de remarketing, confira 5 dicas para fazê-lo sem desperdiçar o seu dinheiro!

pessoas blog

Pense no público

Após acessar seu website, que outros sites seus potenciais clientes costumam visitar? Portais de notícia? Mecanismos de busca? Redes sociais? A resposta a essa pergunta é fundamental para que sua empresa escolha em que canal o anúncio de remarketing será inserido. Entre as opções disponíveis, estão banners em websites, links patrocinados em redes sociais e buscadores e até mesmo o envio de e-mail marketing personalizado.

                                               Capriche no planejamento

469011129Ao criar anúncios de remarketing, também é preciso avaliar o que o cliente irá visualizar quando estiver navegando em outro endereço da web. Portanto, essa é a hora de pensar se sua empresa quer direcionar a atenção do internauta para um produto específico ou para uma página com diversos itens. Para alguns negócios, a melhor alternativa pode ser direcioná-lo para páginas de cadastro ou orçamentos, para que o setor de vendas tenha mais leads para nutrir posteriormente. O importante aqui é definir bem qual o objetivo da empresa para que seja possível planejar o orçamento da campanha, o número de anúncios e a frequência com que serão exibidos.

Escolha um bom CTA

Um bom anúncio tem um bom call-to-action (CTA) e, para definir isso, lembre-se de que as campanhas de remarketing podem atingir usuários em diferentes fases do processo de compras. Um cliente que comprou um telefone celular em uma loja virtual, por exemplo, pode ser exposto a anúncios com acessórios como capas protetoras e fones de ouvido logo em seguida ou poucos dias depois.

Quando um cliente apenas visitou as páginas iniciais do produto, sem entrar em detalhes, poderá receber anúncios e e-mails com preços especiais que podem fazê-lo considerar um retorno ao seu site. E caso tenham deixado o produto no carrinho, um simples lembrete ou uma oferta de outro item relacionado já pode ser suficiente para estimular a compra.

Analise a periodicidade

462494251Os internautas reagem de diferentes formas aos anúncios a que são expostos na web: enquanto alguns pouco se importam com ofertas de empresas que evidenciam o monitoramento de seus acessos, outras se sentem extremamente incomodados.

Dessa forma, outra dica interessante é avaliar a melhor frequência para cada anúncio na hora de desenvolver uma campanha de remarketing. Fique atento: poucos anúncios desse tipo justificam a exibição por até uma semana após o acesso do prospect em seu site.

Faça comparativos

Como vimos no início do texto, o remarketing pode realmente possibilitar a conversão de leads em vendas com custos mais baixos que os anúncios tradicionais. No entanto, para saber se isso é verdade, é preciso que sua própria empresa faça comparações entre as campanhas ativas para ver qual o maior retorno sobre o investimento.

Agora que você já sabe os pontos críticos para uma campanha de remarketing bem-sucedida, corra para seu Painel de Controle e reavalie seus anúncios para otimizar os investimentos!

Lidando com a maratona que é SEO

por em Dicas,Produtos Nenhum comentário

maratona orago 2

93% das experiências online começam com uma pesquisa. Isso significa que otimizar o seu site é mais importante agora do que nunca. Então porque há tantos de nós ignorando essa tarefa? Isso afeta os ganhos, ou a falta deles.

Mas é realmente muito difícil continuar esse trabalho ou saber se você está no caminho certo, se você não vê nenhuma mudança significativa. Como superar isso? Faça deste, o seu mantra: SEO é uma Maratona, não uma corrida. Você já deve ter ouvido essa frase antes. Sendo marqueteiros, proprietários de pequenos negócios, agencias, etc. todos buscamos a mesma coisa: resultados! E queremos (precisamos) deles agora! Contudo, SEO é uma área que nunca trará resultados imediatos. Provavelmente esse é o motivo para que muitos de nós desistamos tão cedo.

Enquanto essa parte de SEO é bem desanimadora, existem maneiras de contornar isso, focando em certos pontos para ver resultados um pouco mais rápidos. Isso vai manter a autoestima alta e será um incentivo para se aplicar mais nas suas outras atividades de SEO.

corrida-orago

Como fazer isso? Foque em quatro pontos:

Fazendo o mínimo possível do seu trabalho de SEO

Uma vez que você identificou os problemas no seu site ou a carência em áreas críticas, você terá que corrigi-los (e essa correção deve ser feita rapidamente) e depois ficar checando se eles continuam certos, mas provavelmente você não terá trabalhos exaustivos para fazer toda semana. O conceito de fazer o mínimo possível em SEO é muito interessante para nós que gostaríamos de focar no que está crítico.

Blog

Se você não tem um, comece hoje! Você conhece o seu produto, indústria e consumidores (esperamos que conheça!). Escreva sobre assuntos que você entende, e conteúdos que você ache que seu publico se interessaria. Como sempre dizemos tudo é uma questão de experimentação! Conteúdo e frequências de postagens que funcionam para um blog, podem não funcionar para outro. Se você já tem um blog, foque a maior parte dos seus esforços em criar conteúdos de qualidade, e analise o tráfego que cada post tem, assim como, a quantidade de visitas que seu blog traz para a sua homepage e páginas de serviços e preços. Lembre-se:

█ Empresas que aumentam sua atividade no blog de 3 a 5 vezes para 6 a 8 vezes por mês, quase dobram o numero de clientes potenciais.

Social

Esse ponto tem total relação com o anterior, pois tem a ver com criar conteúdo e se destacar. Quando você cria uma boa matéria, você gera um link para ele, que você irá compartilhar nas mídias sociais. Links para o seu conteúdo no Pinterest, Facebook, Twitter, Linkedin, Google+, Youtube, Instagram, etc. vão ajudar os buscadores como o Google a determinar que seu site é de confiança e deve ser ranqueado para os termos (palavras-chave) que você deseja. Você não deve tentar estar em todas as redes sociais, principalmente se você só vai sobrecarregar o departamento de mídias sociais da sua empresa, mas ter presença em algumas delas é inegociável. Se você já está nas redes sociais, continue com um bom trabalho! Seu sucesso aqui está definitivamente ligado em como você se sai no item anterior.

█ Empresas que tem mais de 1.000 likes no Facebook também recebem aproximadamente 1.400 visitas no site por dia.

Mobile

A previsão é que o trafego de buscas mobile logo ultrapassará o trafego do desktop, então você tem que se preparar para isso e oferecer uma boa experiência para o usuário mobile, com um site organizado e bem desenhado, com rápido carregamento e conteúdo focado nesses visitantes. Caso contrário, eles provavelmente vão trocar o seu site pelo do seu competidor. Use o Google Analytics para entender quantos visitantes são de dispositivos mobile, e se surpreenda com o resultado.

█ 50% de todas as pesquisas mobile são motivadas pela busca de resultados locais, e 61% dessas buscas terminam na compra de um produto.

Conheça o Orago, a ferramenta da Locaweb que te dá as melhores orientações no trabalho de SEO!

Proteja sua senha do Ghost com criptografia

por em Cloud,TecnoPapo Nenhum comentário

No post anterior, ensinei a instalar o Ghost na nuvem. Hoje, abordarei uma configuração importante após finalizar seu processo de instalação. Cada vez que você digita sua senha para ter acesso ao painel administrativo de seu blog, o navegador envia essa senha para o seu servidor, para que ele autentique seu acesso ao sistema. Se você não utiliza nenhuma criptografia nesse processo, seu navegador irá enviar a senha em formato texto puro (“plain text”), o que significa que, qualquer um poderá ver sua senha, caso esteja utilizando uma técnica chamada de “sniffing”. Isso é particularmente problemático caso esta pessoa esteja na mesma rede que você, principalmente em locais com acesso wifi público, como cafeterias, lan-houses, etc.

blog ghost senha

Por isso mesmo, é essencial ativar a criptografia SSL/TLS na tela de login de seu site Ghost, fazendo com que o envio da senha ocorra de forma criptografada. Para isso, você precisará de um certificado SSL. Há diversos fornecedores no mercado e os preços variam bastante. Na prática, todos eles fornecem o mesmo nível de segurança, independente de quem tenha vendido o certificado para você. O maior diferencial se encontra nas classes (1, 2, 3) dos certificados que podem ser adquiridos.

Há também a possibilidade de criar um certificado auto-assinado ou mesmo de adquirí-lo sem nenhum custo em instituições como a CaCert. O único problema é que alguns navegadores não possuem o certificado raiz da CaCert instalado por padrão, o que faz com que o navegador exiba aquela tela de “site inseguro”, ao acessar uma página com “https” com esses certificados. O mesmo acontece com os certificados auto-assinados.

Exemplo de SSL inseguro no Chrome

Exemplo de aviso no Chrome

Exemplo de aviso no Firefox

Exemplo de aviso no Firefox

No meu caso, optei por utilizar SSL apenas na tela de login, de forma a proteger o envio da senha sem comprometer a carga no servidor. Como não temos o objetivo de utilizar o certificado para checar a autenticidade do site, não haveria problema em utilizar um certificado autoassinado ou emitido pela CaCert. No nosso caso, um certificado classe 1 é mais do que suficiente, e normalmente permite sua utilização nas versões nossodominio.com.br e www.nossodominio.com.br.

Também não abordarei aqui a criação do certificado, mas sua instalação e configuração no Ghost. Mãos há obra!

Instalação do certificado

A está altura você já deve ter 2 arquivos (um do certificado e outro da chave) com diferentes extensões: meusite.crt e meusite.pem. Nomeie os arquivos de forma a identificar para qual site eles pertencem, isso será útil caso você tenha mais de um site instalado no mesmo servidor.

Crie a pasta /etc/nginx/ssl e salve os arquivos nela. Eu costumo utilizar sftp por considerar mais simples e seguro do que um ftp convencional. Depois que os arquivos estiverem salvos nesta pasta, é hora de habilitar o tráfego https no Nginx.

  • Abra o arquivo de configuração com o editor da sua preferência (eu costumo usar o vim, mas você pode usar o nano):
  • vim /etc/nginx/sites-available/default
  • Encontre a seção entitulada “HTTPS server” que encontra-se toda comentada.
  • Retire os # do início da linha e edite as configurações de forma que elas fiquem semelhantes ao exemplo abaixo:
server {
    listen 443 ssl;
    server_name SEUDOMINIO.com.br www.SEUDOMINIO.com.br;

    root html;
    index index.html index.htm;

    ssl_certificate /etc/nginx/ssl/SEU_CERTIFICADO.crt;
    ssl_certificate_key /etc/nginx/ssl/SUA_CHAVE.pem;

    ssl_session_timeout 15m;

    ssl_protocols SSLv3 TLSv1.2;
    ssl_ciphers "HIGH:!aNULL:!MD5 or HIGH:!aNULL:!MD5:!3DES";
    ssl_prefer_server_ciphers on;

    location / {
        proxy_set_header X-Forwarded-For $proxy_add_x_forwarded_for;
        proxy_set_header Host $http_host;
        proxy_set_header X-Forwarded-Proto $scheme;
        proxy_pass         http://127.0.0.1:2368;
    }
}

Atente à substituição do endereço do seu domínio no campo server_name e no nome dos arquivos .pem e .crt que você salvou no diretório /etc/nginx/ssl. Eu também me limitei a utilizar apenas as versões mais recentes dos protocolos SSL e TLS. Agora basta reiniciar o Nginx:

# service nginx restart

Configuração do Ghost

Depois de configurado nosso servidor web, é a vez de dizermos ao Ghost que ele deve utilizar o protocolo https para a tela de login. Fazemos isso editando o arquivo config.js que no nosso caso, encontra-se na pasta /var/www. Par isso basta acrescentar a opção forceAdminSSL: true, dentro da seção production.

Depois de salvar o arquivo, reinicie o Ghost. Ao acessar a URL seudomínio.com.br/ghost, você verá que a requisição será redirecionada para o tráfego HTTPS e o navegador normalmente exibirá um cadeado ao lado do endereço. Pronto! Sua tela de login já está bem mais segura do que anteriormente.