Você já parou pra pensar que tudo aquilo que você faz, lê, vê e/ou ouve pode lhe ensinar uma lição valiosa? Há pouco tempo foi lançado o primeiro episódio da 7ª temporada de TWD (The Walking Dead) e é uma das poucas séries que eu realmente acompanho.

Pensando nisso, resolvi adaptar algumas lições que aprendi com ela para a minha vida profissional, até porque, trabalhar e sobreviver têm tudo a ver, não é mesmo?

– A segurança é uma ilusão

Uma prisão ou, até mesmo uma cidade fortificada como Alexandria, passam certa segurança quanto a quem entra e quem sai, mas uma das maiores lições de TWD é que, por mais que pareça, não há lugar 100% seguro. Você pode tentar proteger uma pessoa de tudo e de todos, mas sabemos que essa sensação de segurança não é real.

A proteção pode ser algo momentâneo e durar dias, semanas, meses ou mesmo anos, porém, ela pode deixar de existir em segundos e o mesmo pode acontecer com seu software.

Não adianta você desenvolvê-lo hoje e dizer que está bom, seguro, e nunca mais encostar nele. No mundo da tecnologia existem atualizações constantes e falhas são detectadas diariamente. A sua aplicação pode estar “Ok”, mas uma vulnerabilidade no S.O. (Sistema Operacional) ou na linguagem, pode tornar sua aplicação vulnerável.

A melhor prática para se manter seguro é atualizar constantemente sua aplicação, monitorando-a para detectar eventuais falhas.

– Dar valor para as pequenas coisas

Um sorriso, um abraço, uma refeição, um bom dia, um gole d’água, um banho quente ou o simples fato de poder descansar tranquilamente. Essas pequenas coisas, aparentemente banais e que geralmente passam despercebidas, fazem a diferença para os sobreviventes de um apocalipse zumbi. Além das dificuldades para sobreviver e da matança, a série nos mostra

que as coisas materiais tão supérfluas e tão cultuadas no mundo não fazem o menor sentido quando as necessidades básicas não são supridas.

Como sabemos, no mundo do desenvolvimento as pequenas coisas fazem muita diferença. Quem nunca ouviu: “- Ah, mas isso é só um detalhezinho, não faz diferença.” e, quando você vê, aparece uma legião de usuários insatisfeitos, reportando um problema gerado pelo tal “detalhezinho”.

O detalhe nem sempre gera um problema, mas pode elevar os custos para manter o sistema, quando poderia ter sido evitado durante o desenvolvimento.

– Trabalhar em equipe é vital para sobreviver

Não importa quem você é, o quão forte e, nem se é a pessoa mais inteligente do mundo. Sozinho você sempre será e estará mais fraco. Até mesmo a Michonne, uma das personagens mais bad ass, se sentiu mais segura quando entrou para o grupo do Rick. Ter a ajuda de seus colegas é fundamental para sobreviver, seja aqui, na China, ou em um mundo infestado por zumbis.

Há sempre aquela pessoa que diz “eu trabalho melhor sozinho“, mas com esse tipo de pensamento ninguém sobreviveria muito tempo em um apocalipse zumbi e, com esse no mundo do desenvolvimento, também não.

O trabalho em equipe se torna mais ágil e melhora a qualidade do código, tanto do projeto, como do indivíduo, já que todos sempre aprendem algo novo com os membros do time. O desenvolvimento da pessoa que trabalha em equipe é muito mais acelerado do que daqueles que trabalham sozinhos.

– Devemos nos adaptar a qualquer situação

Ninguém estava preparado para essa realidade brutal e se adaptar à nova vida foi preciso. Sem dúvida, a força e a inteligência ajudam muito, mas em situações extremas, a capacidade de adaptação é mais decisiva.

Nessa nova temporada, Rick e os demais lidarão com a presença de Negan e sua gangue, mas não é só agora. Durante toda a série vemos que a sobrevivência, individual e coletiva, exige mudanças e adaptações incessantes na forma de pensar e de se defender.

Imprevistos sempre acontecerão durante o ciclo de vida de um software; novos bugs, atualizações de segurança, configurações obsoletas e “n” fatores que obrigam adaptações do sistema.

Em certos casos, dependendo do ocorrido, pode ser que o tempo para adaptar seja curto e a não adaptação possa comprometer a vida do sistema de alguma maneira.

E, você, aprendeu também alguma coisa com The Walking Dead ou alguma outra série? Deixe nos comentários!