Otimização SEO é o ramo do Marketing Digital que lida com a melhoria da posição das páginas da web nos resultados orgânicos (não patrocinados) dos mecanismos de pesquisa. Neste guia, veremos em detalhes o que é SEO Técnico e como funciona.

É importante antes de tudo entender o que é SEO. SEO é o conjunto de estratégias e práticas destinadas a aumentar a visibilidade de um site, melhorando sua posição no ranking dos mecanismos de busca, em resultados não pagos, chamados de resultados orgânicos.

Essas práticas são múltiplas e dizem respeito a diferentes aspectos de um site: otimização da estrutura do site, código HTML, conteúdo textual, gerenciamento de links recebidos (ou seja, de outros sites que apontam para o seu site, ou, mais comumente chamados de backlinks de qualidade).

Como o Google é o mecanismo de pesquisa mais usado no mundo, a maioria das atividades de SEO se refere ao estudo do algoritmo do Google e suas atualizações periódicas e às ações relacionadas para tornar os sites mais “aceitos” a esse algoritmo.

O que é SEO Técnico

Você sabe a que exatamente se refere o SEO técnico? O SEO técnico está relacionado a todas as atividades de SEO, com exceção da otimização de conteúdo e criação de links. Na prática, ele monitora alguns requisitos de mecanismo de pesquisa..

Esses requisitos mudam constantemente e se tornam mais complexos para acompanhar os mecanismos de pesquisa, que são cada vez mais sofisticados a cada dia. Então você pode dizer que o SEO técnico está em constante evolução.

O SEO técnico cria a base necessária para você conseguir monetizar seu site, seja ele uma loja virtual, um portal de cupons de desconto ou um site institucional. Somente dessa maneira você poderá se destacar nos resultados do mecanismo de pesquisa sem obstáculos. 

Como melhorar o SEO Técnico

1 – Velocidade do site

A velocidade da página de um site é um importante fator de qualidade no Google e, portanto, sempre deve ser vista com cuidado.

O tempo de carregamento de uma página também é um fator de classificação indireta, porque as altas taxas de rejeição dos usuários enviam sinais negativos, que o Google leva em consideração ao distribuir a classificação. O GoogleBot também rastreia páginas rápidas com mais frequência do que páginas lentas.

Portanto, é aconselhável acompanhar e otimizar o tempo de carregamento do site. E por último, mas não menos importante: mesmo na pesquisa para celular, usada com mais e mais frequência, os tempos de carregamento são um fator decisivo na classificação e garantem mais conversões.

Até gigantes como a Amazon descobriram que a cada 100ms de tempo de carregamento da página leva a uma redução de 1% nas vendas.

No início deste ano, Brian Dean disse que a velocidade de carregamento da página, o tempo que leva para exibir o conteúdo, está incluída nos dez principais fatores de classificação de SEO.

Então: quanto menor o tempo de carregamento, melhor! Como regra geral: com um tempo de carregamento de dois segundos, uma experiência satisfatória do usuário pode ser alcançada em princípio. Se for menos de um segundo, é claro que isso é ainda melhor. No entanto, você também deve prestar atenção a que tipo de página e que tipo de elemento é.

Com a ferramenta Google PageSpeed ​​Insight, a velocidade da página do seu próprio site pode ser testada.

Use o protocolo HTTP/2

Por um longo tempo, o protocolo HTTP/1.1 foi o padrão. Agora ele é substituído pelo protocolo HTTP/2. Mudar para HTTP/2 significa atualizar seu site.

O HTTP/2 tem um efeito positivo na classificação, pois sua utilização pode economizar de 500 a 800 milissegundos por exibição de página. Portanto, melhora o tempo de carregamento de um site, um fator de classificação direta. Isso é particularmente relevante para sites que contêm mídia grande ou até oferecem streaming.

O protocolo de comunicação garante que o cliente e o servidor se comuniquem e determina como a comunicação entre eles ocorre. Enquanto no HTTP/1.1, uma solicitação extra é enviada ao servidor da Web para a transmissão de cada elemento de um documento e o servidor da Web responde enviando os dados individuais, com o HTTP/2 isso ocorre em uma única configuração de comunicação.

No geral, o HTTP/2 melhora a velocidade, a eficiência e a segurança da transmissão de dados. Melhorar o tempo de carregamento também significa que o site é rastreado com mais frequência pelo mecanismo de pesquisa.

2 – Redirecionamentos em excesso

Ao relançar um site ou mover o domínio, eles são essenciais: Redirecionamentos!

Redirecionamentos são úteis de várias maneiras para a otimização de mecanismos de pesquisa. Acima de tudo, ajudam a evitar a perda de classificação e a manter a experiência do usuário positivamente.

Há um total de oito tipos diferentes de códigos de status HTTP. Os mais comuns e mais relevantes para o SEO incluem os redirecionamentos 301 e 302:

  • O redirecionamento 301 (movido permanentemente) é um redirecionamento permanente de um URL. Os redirecionamentos 301 informam ao bot que a página pode ser encontrada permanentemente em um novo endereço e o URL não é mais válido.
  • O redirecionamento 302 (movido temporariamente) envia as informações ao mecanismo de pesquisa de que o URL está temporariamente disponível em outro URL. Ao contrário dos redirecionamentos 301, esse redirecionamento não é armazenado em cache porque o antigo URL provavelmente estará disponível novamente em um futuro próximo.

A escolha de redirecionamentos com cuidado é altamente recomendada. Mas tenha cuidado: muitos redirecionamentos consecutivos também podem ter um impacto negativo, especialmente no tempo de carregamento de um site. Portanto, os operadores de sites devem sempre manter uma visão geral de sua própria estrutura de URL e garantir a ordem.

3 – Facilidade de uso móvel

Cada vez mais usuários ficam online em dispositivos móveis, como Smartphones e Tablets. Consequentemente, o tráfego nesses dispositivos aumenta. Fornecer uma versão móvel rápida e fácil de usar do seu próprio site é, portanto, quase uma obrigação.

Em 2015, o Google fez da facilidade de uso de dispositivos móveis um site um fator de classificação. Isso significa que não é a versão para computador, mas a versão do site para celular usada para o cálculo da classificação. Um site otimizado para dispositivos móveis deve, portanto, ser uma prioridade para ser encontrado de maneira otimizada na Internet.

“Mobile first” é o foco agora!

4 – Conteúdo duplicado

O conteúdo duplicado num mesmo site são páginas da Web que possuem conteúdo ou textos muito semelhantes, e o conteúdo duplicado pode afetar um site, interna e externamente. O conteúdo duplicado é um grande erro para o SEO técnico.

O problema está no fato de o site ter muitas páginas da web com o mesmo conteúdo ou conteúdo muito semelhante no mesmo site.

Pode haver várias causas, como gerenciamento incorreto de redirecionamentos 301, criação de páginas parametrizadas que geram centenas e centenas de URLs e etc. Se as páginas com conteúdo duplicado não tiverem razão de existir, é melhor excluí-las. Esses erros presentes em um site, fazem o mecanismo de pesquisa perceber a duplicação e levam a uma consequente redução na classificação e visibilidade no Google.

5 – Duplicação do conteúdo externo

No entanto, quando se trata de duplicação de conteúdo externo, o discurso é muito diferente e, na maioria dos casos, estamos falando de conteúdo na Web que foi copiado de outros sites.

É feita referência ao conteúdo que é copiado de outras páginas da Web e que, dessa maneira, às vezes viola os direitos de quem a escreveu. Embora essa prática possa parecer absolutamente inocente para algumas pessoas, o Google não gosta dessa maneira de agir.

Em particular, é um problema que afeta muitos e-commerce. Às vezes, o problema se deve ao fato de o conteúdo das folhas e categorias de produtos serem copiados e colados nos catálogos dos fabricantes.

A solução é tornar estrategicamente valioso o conteúdo das páginas mais importantes, e é sempre uma boa solução enriquecer seu conteúdo, por exemplo, com revisões originais que ajudam a tornar as páginas únicas e valiosas.

Essas são ferramentas que permitem descobrir e evitar a duplicação de conteúdo, com todos os problemas que eles trazem ao seu site.

  • Siteliner: Esta ferramenta é totalmente gratuita. Ela permite que você localize conteúdo duplicado no seu site e também possui muitos outros recursos úteis. Basta digitar o URL do seu site.
  • Copyscape: O Copyscape se concentra mais em casos de duplicação externa. Basta digitar o URL de seu interesse e o Copyscape mostra qualquer duplicação.

6 – O robots.txt é um item obrigatório

Robôs o que? robots.txt! O robots.txt é um arquivo no diretório de um domínio que fornece ao rastreador da Web informações importantes sobre como ler seu próprio site.

Por meio do robots.txt, informamos aos mecanismos de pesquisa se existem páginas ou diretórios individuais no site que não devem ser rastreados. Isso significa que eles podem impedir o rastreamento de determinadas áreas.

Que papel isso desempenha no ranking? O rastreamento pode ser controlado com o robots.txt. Páginas com diretórios, filtros ou informações confidenciais não devem ou não precisam ser rastreadas.

O Robots.txt garante que isso só ocorra nas páginas relevantes. Isso economiza o orçamento de rastreamento ou, melhor, distribui-o para as páginas realmente importantes. Isso afeta particularmente sites muito grandes.

Para que o rastreador encontre o arquivo de robôs, ele deve ser armazenado corretamente, como um arquivo txt no diretório raiz.

Conclusão

Se você der uma olhada mais de perto nessas dicas de SEO, já entenderá mais o SEO técnico e poderá dar o primeiro passo para obter as melhores classificações nos mecanismos de busca.

Faça um checklist e reúna as nossas principais ideias para gerar mais resultados na internet.

Escrito por Caio Nogueira, especialista em SEO e sites WordPress na UpSites.

Exibir ComentáriosOcultar Comentários

Faça um comentário

Evento 100% grátis e online -1 Dias 2 Horas 40 Minutos 1 Segundos
INSCREVA-SE!