Texto de Maudy T. Pedrão, autor do blog Ubuntudicas @ubuntudicas

 

Muitos de nós, humanos, temos uma fixação estranha e quase obsessiva em listas. Listas para compras, de discos mais legais do mundo, e assim vai. Parece que precisamos ler e reler muitas vezes uma pequena lista antes de tomarmos alguma atitude que nos traga benefícios práticos ou emotivos.

No mundo da tecnologia é muito comum vermos listas demonstrando pontos específicos de um produto que nos mostram pontos-de-vistas que não tínhamos conhecimento. Pensando justamente nisso, que se baseia a lista “10 motivos para você testar o Ubuntu”.

O foco não é denegrir o que você já usa ou mostrar uma superioridade “quase xiita” em favor de um sistema. O objetivo é mostrar que existem pontos que você não conhecia. Ou até que conhece, mas não tinha ideia de que se aplica a um sistema Linux que muita gente fala por aí e que na verdade você não tem noção do que se trata. Então, vamos lá.

 

1. Interface moderna

Desde abril de 2011, o Ubuntu mudou sua interface do Gnome clássico para o que chamou de UNITY. Essa quebra de paradigma criou muita incerteza entre os usuários e alguns conflitos de uso, mas isso foi mais por conta de uma interface acessível ao extremo. Tudo é muito mais simples, mais limpo e quase minimalista.

O Unity tem um bom grau de personalização, aproveita melhor o espaço no desktop em monitores widescreen e com algum pouco tempo de uso você se acostuma. Está em constante aprimoramento pela Canonical.

 

2. Personalização

Neste item, o Ubuntu é um primor. Ele permite grandes níveis de personalizações que vão desde uma simples mudança de tema, por um que te agrade, até a escolha de outra interface como o Cinammon ou Gnome Shell. O sistema é o mesmo, mas a “cara” pode ser mudada com alguns poucos cliques.

Ainda existem programas de terceiros, como o Ubuntu Tweak, que te dá mais poder de personalização sem ter que usar um terminal (mesmo você podendo usar, se quiser). Tudo ali, perto de você.

 

3. Softwares

Imagine entrar numa central de programas onde você pode baixar milhares de aplicativos para uso sem ter que comprar licenças e sem limite de utilização. Sim, isso existe. Milhares de programas similares aos que você usa diariamente.

O Centro de Programas do Ubuntu tem mais de 40 mil softwares que vão de jogos a suítes de escritório, prontos para uso. É tanta opção junta que é muito comum não saber qual seria a melhor escolha para ouvir seus mp3. Mas aí é que está a graça do software livre: liberdade de escolha. Você decide.

 

4. Compatibilidade de Hardware

O Ubuntu/Linux consegue ter um alto nível de compatibilidade de hardware antigo e o mais moderno também. Mas aqui vale a ressalva de que nem tudo são flores, pois podem ocorrer problemas entre algumas placas de vídeo.

Um PC com 512MB de RAM, processador 32 bits e com 5GB de espaço de HD já é suficiente para rodar o Ubuntu. Mas se você ainda tem um PC mais fraquinho, pode tentar usar o Lubuntu (uma variante do Ubuntu específico para máquinas antigas).

 

O que mais posso dizer sobre este item da lista? Não me preocupa guardar aquele CD de drivers como se fosse o Santo Graal na gaveta. Só isso já justifica o teste, não?

 

5. Integração com as nuvens

Então você tem milhares de arquivos que não quer nem imaginar em perder? Aqueles documentos que te salvam diariamente e que não pode confiar em HDs externos ou em pendrives?

Ao instalar o Ubuntu, você já tem o direito de usar o serviço chamado UBUNTU ONE. São 5gb de espaço gratuitos onde você pode (e deve) integrar ao sistema local, podendo enviar seus arquivos para as nuvens e compartilhar com seus amigos, se assim quiser.

Ainda não ganha em termos de facilidade de uso do DropBox, mas é muito prático e integrado por padrão ao sistema, sem precisar instalar nenhum aplicativo adicional.

 

6. Segurança

A fama do GNU/Linux em ser um sistema seguro você já deve ter ouvido falar por ai e não é exagerado, pode acreditar.

Existem muitos fatores para que o Linux seja seguro e neste artigo você poderá entender melhor esse assunto tão complexo. Vale a leitura.

Eu uso o Ubuntu a anos e nunca peguei vírus, trojans, malwares e etc. Claro que o diferencial sempre será seu zelo com o que esta mexendo. Auto-confiança elevada pode trazer estragos inesperados, mas no mundo Linux isso é incomum.

O sistema pode ter um bug ou uma falha de segurança? Sim, pode. Mas ao contrário do que está acostumado, os bug-fixes são distribuídos no menor tempo possível. Não existe uma data especifica para updates de segurança! No Ubuntu o sistema é atualizado sempre que necessário e isto é bom.

 

7. Ferramentas de Administração

No Ubuntu 12.10 você pode administrá-lo remotamente! Imagina você se logar para utilizar o seu PC usando apenas um navegador. Isso é possível graças ao Landscape.

E você pode acessar o domínio Active Directory do Windows com ferramentas tipo LikeWise Open ou o Centrify.

 

8. Suporte VPN

Nos repositórios do Ubuntu, você pode instalar o OpenVPN, que usa um protocolo seguro baseado em SSL/TLS.

 

9. Suporte Técnico

A Canonical oferece suporte técnico oficial por um custo inicial de U$80 dólares por ANO!!! Ou seja, menos de 14 reais por mês. Mas você não tem essa grana? Ok, existem dezenas de blogs e apoio nas redes sociais onde você pode ter ajuda de outros usuários. Tudo gratuitamente.

 

10. Preço

O Ubuntu 12.10 é gratuito. Não tem custo algum. É livre para uso e distribuição.

Basta você acessar o site da Canonical, baixar o arquivo .ISO, queimar num DVD-R e testar no seu PC sem precisar instalá-lo. É só rodar direto do drive de DVD.

Não tem paciência ou tempo para isso? Ok. Clica aqui e teste o sistema agora mesmo!

 

Bem amigos e amigas, não quero aqui tentar mostrar uma “superioridade forçada”, mas apenas listar os principais motivos para se testar o Ubuntu. Se você se lembrou de outro item, comente, ok?