A cada ano cresce o número de microempreendedores individuais (MEIs), principalmente no e-commerce. Isso porque esse é um formato dinâmico e simples de iniciar um negócio.

O regime tributário simplificado para autônomos e pequenos empresários foi criado em 2009 e desde então o MEI aparece em cada vez mais segmentos. O MEI pode vender online não somente em loja virtual, mas também em alguns canais de venda como marketplaces.

Neste artigo, vamos entender um pouco mais sobre as particularidades sobre o MEI como lojista online. Confira!

O MEI no universo online 

Como já citamos, o MEI pode vender online, basta entender as delimitações dos canais de venda que irão integrar o negócio. Talvez o grande desafio seja ser competitivo nas vendas online, já que os grandes lojistas acabam tendo vantagens com relação a compras em maior escala com os fornecedores. 

Outro cuidado que o MEI deve tomar no e-commerce é não extrapolar os limites estabelecidos da modalidade, que é de R$81 mil em faturamento por ano. 

De forma geral, o MEI encontra dificuldades para estar presente em marketplaces no quesito nota fiscal. Alguns canais exigem, por questão de segurança, a geração do documento para todas as vendas concretizadas. Porém, nem todos os MEIs emitem nota fiscal eletrônica (NF-e), que é a exigida pelos canais. 

Por isso, é preciso verificar se o seu Estado emite a nota fiscal eletrônica, a fim de não ter problemas com os marketplaces que deseja vender.

Dicas na hora de escolher os marketplaces como canais de venda

Na hora de escolher o canal de venda, é preciso levar em conta o potencial de vendas do marketplace, e também como ele auxilia os lojistas em suas estratégias de venda, a fim de crescer e se desenvolver no e-commerce. 

Também vale verificar se o canal está preparado para receber lojistas pequenos, que entendam suas dificuldades e ajudem na superação dos desafios iniciais. O suporte para o MEI também deve ser levado em conta. Algumas plataformas inclusive oferecem treinamentos para auxiliar o lojista a utilizar as ferramentas, e compartilham conteúdos que ajudam a criar estratégias de venda importantes para quem está começando a atuar no comércio eletrônico. 

Ou seja, é importante atentar-se aos seguintes quesitos:

  • Visibilidade do canal
  • Suporte para MEIs
  • Opções para o seu crescimento

Limite de faturamento para MEI em 2021: R$ 81 mil no ano, ou R$ 6.750 mensais.

Antes de entrar em um marketplace, fique atento:

Principalmente para quem está começando na venda em canais online, é importante verificar algumas questões simples, mas que podem fazer toda a diferença: 

  • Prazos de entrega: a logística, por exemplo, é fundamental para a boa experiência do cliente com a sua loja. É necessário respeitar os prazos de entrega para não sofrer punições ou uma má reputação. Também é preciso lembrar que os Correios exigem a apresentação da nota fiscal impressa e anexa na embalagem do produto. No caso específico dos MEIs, é possível optar pela declaração de conteúdo, exceto quando a venda for para outra empresa. 
  • Fique atento ao gerenciamento de contas do negócio: apesar do marketplace trazer diversas funcionalidades e a possibilidade de automação de alguns processos, isso não significa que você pode ficar desatento.
  • Taxa de comissionamento: antes de tudo, saiba bem qual é a taxa de comissionamento que deve ser paga ao marketplace, para que você consiga, inclusive, precificar adequadamente os seus produtos.

Integração para vender mais

A estratégia de vender em canais como marketplaces é muito importante para quem deseja escalonar o negócio. No entanto, é importante contar com ferramentas de integração aos marketplaces, a fim de aumentar suas vendas e atingir novos mercados. 

Através de um ERP é possível vender em diferentes plataformas de uma maneira mais automatizada e inteligente, ampliando as possibilidades do vendedor converter, ao mesmo tempo em que marca a presença da marca e seus produtos. 

O Bling! possui integração com os maiores marketplaces do mercado e, através do sistema de gestão, a administração das vendas também fica simplificada, uma vez que boa parte do processo é feita diretamente pela plataforma. 

Além de organizar a gestão interna e sincronizar cadastros, vendas e entregas, o ERP também facilita a logística para e-commerce e a emissão de notas fiscais.

Escolha um sistema de gestão que atenda bem ao seu modelo de negócio MEI, para descomplicar a gestão do negócio, com ferramentas que auxiliam de fato quem precisa organizar seu negócio.