Desde que as pessoas começaram a comprar e a vender produtos pela internet, muitos empreendedores descobriram que é possível expandir seu negócio e atrair clientes de outras cidades, estados e até países. No entanto, para ter credibilidade no mercado, é preciso tratar essa atividade de forma profissional, e uma das principais medidas para isso é a escolha de uma plataforma de e-commerce de qualidade.

Então, se você quer abrir seu próprio negócio no mundo virtual, expandir as operações da sua loja física ou simplesmente melhorar a imagem e o alcance do seu e-commerce no mercado para vender mais, este post vai ajudá-lo. Selecionamos algumas dicas indispensáveis para escolher uma plataforma que atende às necessidades do seu comércio e garante a segurança dos seus clientes. Confira!

Como escolher uma boa plataforma de e-commerce

Atualmente, o comerciante brasileiro encontra uma série de fornecedores de plataformas de e-commerce. Cada um deles oferece um conjunto de funcionalidades que devem ser avaliadas de acordo com as necessidades do seu negócio. Para ajudá-lo, fizemos uma lista de critérios importantes nesse processo de escolha.

1. Usabilidade da plataforma

Uma plataforma de boa usabilidade é aquela que simplifica a navegação. Ela faz o usuário encontrar rapidamente o que deseja, de forma intuitiva. Quando o usuário circula em um ambiente virtual com essas características, as chances de encher o carrinho e concluir a compra são muito maiores.

Portanto, tudo em uma loja virtual deve funcionar muito bem: carregamento rápido (inclusive de imagens), filtros de produtos, retorno à página anterior, inclusões no carrinho e processo de login e checkout. Quanto mais claro for o caminho até a compra, melhor será a experiência do usuário.

Lembre-se ainda que a experiência de quem usa dispositivos móveis deve ser tão boa quanto a de quem acessa sua loja por um desktop. Esse é o diferencial que faz o seu negócio atingir quase a metade dos internautas brasileiros que acessam a rede pelo celular. Portanto, a responsividade não pode ser negligenciada.

2. Nível de personalização

A personalização é muito importante para dar credibilidade ao e-commerce. Quando o design da loja virtual é exclusivo e utiliza um layout de acordo com a identidade visual da marca, o consumidor tem a percepção de que se trata de um trabalho profissional, e não de uma empresa amadora.

Isso é importante porque no e-commerce confiança é tudo. Antes de fazer uma compra, o consumidor tenta avaliar, por meio de diversas pistas, se a loja é idônea. Dessa forma, escolher uma plataforma que permita criar um site personalizado é um critério essencial para oferecer esse layout profissional e se destacar dos concorrentes.

3. Tamanho da operação

Pode ser que você esteja apenas pensando em empreender, começando um negócio ou virtualizando sua loja física. O fato é que muitas empresas começam com um volume baixo de vendas nos meios digitais, que vai aumentando gradualmente. A plataforma contratada precisa ser preparada para acompanhar esse crescimento.

Além do aumento do volume a médio e longo prazo, a empresa precisa contratar um serviço capaz de atender demandas excepcionais de datas específicas. Alguns ramos de negócio têm um alto movimento sazonal. O provedor deve estar preparado para atender esse aumento esporádico de acessos com estabilidade, sem apresentar travamento ou sobrecarga.

4. Integrações

Cuidar da usabilidade da loja é um cuidado com o front end, com a parte do negócio com o qual o consumidor terá contato. Porém, quem resolve se estabelecer no comércio virtual precisa de uma plataforma eficiente também no que se refere ao back end.

Por isso, é necessário contratar uma plataforma que possa ser integrada a outras ferramentas. Afinal, com o aumento do volume de vendas é impossível realizar o controle de estoque, de faturamento e as operações relacionadas ao marketplace sem automatizar essas funções.

A plataforma precisa favorecer inclusive o marketing do negócio. Um exemplo é o disparo de e-mails quando o consumidor abandona o carrinho. Essa é uma ótima estratégia para reativar o desejo e fazê-lo retornar para a compra, revertendo esse problema.

Outra opção é integrar a plataforma a ferramentas de Business Intelligence que analisam a atividade dos consumidores nas redes sociais. Dessa forma, ela conseguirá mostrar seus anúncios online para pessoas mais propensas a comprarem seus produtos, aumentando o retorno do seu investimento.

Portanto, a plataforma de e-commerce precisa ser compatível com essas outras ferramentas. Só assim ela será capaz de atender às necessidades do seu comércio, contribuir para o aumento das vendas e suportar todas essas operações.

5. Segurança

Uma das principais preocupações de quem compra no e-commerce é a segurança. Afinal, eles inserem ali números de documentos importantes, como o CPF e cartão de crédito, além de informações de contato como o endereço. A exposição desses dados a fraudadores pode causar uma série de transtornos e grandes prejuízos.

Por isso, alguns cuidados são necessários. O ideal é trabalhar com plataformas que atuam na nuvem e utilizam recursos de proteção avançados como clusters, firewalls e IDS. As atualizações realizadas por esses fornecedores também costumam ser frequentes, o que evita falhas nos protocolos de segurança e garante a integridade de informações.

Outro cuidado importante é a segurança em relação à integração com sistemas de terceiros. O comércio virtual frequentemente usa gateways de pagamentos, o que implica a comunicação com instituições financeiras. O fornecedor deve garantir que o caminho para a troca de informações entre as duas pontas protege os dados dos usuários.

6. Reputação no mercado

Com o crescimento do comércio digital, muitas empresas estão lançando novas soluções. No entanto, para contar com um fornecedor seguro é importante analisar o histórico dele no mercado e a reputação que conquistou junto aos seus atuais e antigos clientes.

Imagine o risco de contratar uma empresa nova, sem muito know how no mercado. Será que ela tem realmente condições de sustentar suas operações sob condições adversas? Se ela interromper suas operações de uma hora para outra, isso significa que sua loja simplesmente sairá do ar, causando um grande prejuízo até a migração a outro serviço.

7. Otimização para SEO

SEO é a sigla para Search Engine Optimization, ou otimização para os mecanismos de busca. Trata-se de uma série de estratégias que mostra aos algoritmos do Google que seu conteúdo é relevante para quem pesquisou uma determinada palavra-chave, fazendo com que ele mostre sua página nos resultados de busca.

É fundamental ter uma plataforma que utilize esses mecanismos de otimização para atrair mais clientes. Se o seu site aparece na primeira página nos resultados de uma busca, suas chances de receber a visita do consumidor são grandes. Portanto, esse é um critério muito importante para aumentar as vendas.

Enfim, também é importante que o fornecedor da plataforma de e-commerce ofereça um bom suporte e serviços de manutenção, com tempo máximo de solução previsto em um SLA (acordo de serviço). Assim você tem a garantia de que a normalidade será restabelecida o mais rápido possível,

Agora que você já sabe como escolher a melhor plataforma de e-commerce, entre no nosso site e conheça os benefícios da Loja Virtual Locaweb para potencializar o sucesso do seu negócio.